Vroomm

Vroomm...



Selecione uma página...

A oitava de Jimmie Johnson


1

Jimmie Johnson, o sr. 5 vezes como lhe chamam os americanos, deve estar com um grande problema entre mãos, começam a faltar-lhe divisões na sua casa para colocar os relógios que ganha como prémio por vencer em Martinsville.
 
2
Este é o 8º relógio para a colecção de JJ e não sei porquê mas estou com a sensação que não vai ficar por aqui, o melhor é fazer obras na sua casa para ter espaço para mais alguns.
 
Depois de conseguir a pole position,  J.J. liderou 346 das 500 voltas à pequena oval que mais parece um paperclip.  Não houve nenhum piloto capaz de fazer frente tão bem que estava afinado o seu Chevy SS nº48, nem mesmo Kyle Busch que liderou 56 voltas ou o seu colega de equipa Matt Kenseth com 96 voltas.

Portanto de vencedor estamos conversados, e o que dizer dos outros ??
 
Bem aí a música é outra, confusão não faltou e a primeira a sofrer com ela foi Danica Patrick que se despistou sozinha quando tentava ultrapassar um concorrente e este “fechou-lhe” a porta, 1ª lição do dia estava concluída e a 1ª bandeira amarela também.
 
Foram várias as bandeiras amarelas que interromperam a prova, 12 no total que “comeram” 85 voltas com uma delas a envolver, na volta 181 onze carros ( nºs: 1, 9, 11, 15, 17, 22, 31, 55, 56, 88 e 93 ).

3
Este incidente na volta 181  conseguiu envolver todos os Toyotas da equipa Michael Waltrip Racing, o nº15 de Clint Bowyer, o nº55 de Brian Vickers e o nº56 de Martin Truex Jr. com este a ficar com a pior parte como mostra a imagem.
 
Houve também direito a uma bandeira vermelha na volta 487 quando o Chevy nº78 de Kurt Busch pegou fogo na parte do motor.
 
Para além, do vencedor, das bandeiras amarelas e vermelha, há que salientar a extraordinária prova que a rookie Danica Patrick fez, é verdade que se despistou sozinha  mas aprendeu depressa, aliás muito depressa, porque depois de se ver com 2 voltas de atraso conseguiu, através de um excelente ritmo e estratégias do seu chefe de equipa, chegar à volta do líder e a partir daí foi sempre a subir.

4
Já tive oportunidade de ver provas extraordinárias de pilotos nesta oval, Tony Stewart em 2011 quando deu aquele que seria o pontapé de saída para a vitória na Chase, Mark Martin em 2009 ( se não me engano) com o seu Chevy nº 5 parcialmente destruído e a falhar a vitória porque lhe faltaram meia dúzia de voltas senão menos para apanhar Denny Hamlin, mas isto são pilotos que conhecem muito bem esta oval, Danica era a 1ª vez que lá punha os pés daí escolhé-la como o piloto da prova. Eis o que ela disse, depois da prova acabar, quando a poucas voltas do fim ultrapassa o seu colega e patrão Tony Stewart:
I felt a little funny kind of racing really hard for position there with Tony at the end, and then to get in front of him, that was a little victory for me because he’s so good,”
e continua em jeito de provocação: 
“I’m going to go over to his bus after this and see what he has to say about it,”

 
Também Clint Bowyer disse o seguinte sobre a sua condução: “I got behind Danica and I couldn’t pass her.” ;”She came a long way from yesterday,” Bowyer continued. “She was extremely fast. Good job.”

Os resultados finais  AQUI e a classificação geral  AQUI 

E foi mais ou menos assim que eu vi as 500 voltas a uma das minhas ovais preferidas.

A próxima prova será no próximo sábado à noite na oval de 1,5 milhas no Texas.

Deixe uma resposta