Vroomm

Vroomm...



Selecione uma página...

RALI DE PORTUGAL


 

44

Faltam 2 dias para que o “nosso” rali vá para a estrada.
 
22
 Esta é sem dúvida, para mim, a categoria mais difícil do desporto automóvel,  aqui as mãozinhas fazem a diferença não só para andar depressa como para controlar os obstáculos que por vezes aparecem em sítios menos esperados bem como quando as condições atmosféricas são imprevisíveis, isto já para não falar de que o piloto não só tem a sua vida em jogo como ainda a do seu co-piloto ou pendura.
 
 
 
Em tempos fui um  verdadeiro maluco pelos ralis, levantava-me de madrugada para ouvir a rádio a transmitir os resultados das classificativas em directo quando os telemóveis e internet ainda não existiam.

 
 
 
 
19
Lembro-me perfeitamente de um episódio que mais fazia lembrar a Formula 1 com as suas trocas rápidas de pneus nas boxes. Foi em 1984 que esse episódio aconteceu, na altura as estrelas eram o Lancia Rally 037 com Markku Alen, Henri Toivonen, Attilio Bettega e outros  e a Audi com o Quattro A2 e Quattro Sport a serem conduzidos por pilotos como Hannu Mikkola, Walter Rohl, Stig Blomqvist, Michelle Mouton e outros. Era uma verdadeira parada de estrelas,  tínhamos a luta dos pilotos mas, para as marcas era uma questão de orgulho uma bater a outra. Foram fantásticos esses anos dos ralis.
 
 
 
40
Voltando ao episódio, era um sábado, o rali de Portugal estava a começar a 1ª secção da sua 4ª etapa com Mikkola no Audi na frente e Alen no Lancia a seguir, as classificativas de Arganil estavam prontas para o show, e que show, na altura a classificativa de Arganil era bastante comprida com a particularidade de ter sensivelmente pouco menos de metade do troço em asfalto e o resto em terra, na terra o Audi tinha vantagem porque era um 4 rodas motrizes e no asfalto era o Lancia com a tracção nas rodas traseiras.
 A Lancia não esteve com meias medidas, sabendo que perdia muito tempo na terra decide fazer troca de pneus de asfalto para terra, ou vice versa, quando o terreno do troço mudasse de terra para asfalto , ou vice versa.
 
30
Já não me recordo quem venceu essas classificativas, recordo-me sim que estava acordado em frente a um rádio à espera de saber os resultados e recordo-me também que, depois das passagens  por Arganil, a Audi tinha o Lancia de Markku Alen em cima e quando só faltavam as classificativas da 2ª secção da 4ª etapa para acabar o rali. Essas últimas classificativas eram em piso de terra mas eram verdadeiras auto estradas com um piso bastante bom o que, embora desse vantagem à Audi, tinham que dar o máximo porque em classificativas anteriores com o mesmo tipo de terreno o Lancia era extraordinariamente rápido, caso das classificativas da zona de Fafe ( que saudade) onde esta bateu o pé ao Audi.

Acabou por vencer o Audi conduzido por Hannu Mikkola com o Lancia Rally 037 de Markku Alen em 2º a 27s.

Estes anos com os Lancias, Audis e mais tarde os Fords e Peugeots foram anos verdadeiramente fantásticos.

20
Nos anos seguintes comecei a ir com os meus amigos para Arganil, na altura já não havia os Grupo B,  levavamos umas febras e divertiamos-nos à grande enquanto viamos passar o Subaru de Colin McRae, o Lancia Delta Integrale de Juha Kankkunen, Toyota Celica de Didier Auriol e Carlos Sainz, enfim nomes que ficam na história não só do nosso rali com do mundial.
 
São muitas mais as histórias que poderia contar mas aquela da Lancia trocar de pneus em plena classificativa de Arganil é, para mim, a melhor delas todas.

32
Com o tempo as viagens a Arganil acabaram e eu acabei por desligar-me um pouco dos Ralis até porque o “meu” piloto da altura, Colin McRae, estava já na sua curva descendente e era a vez de Sebastian Loeb tomar conta literalmente dos ralis.
 
Hoje sigo os ralis não com a fervura dos anos 80 mas, sem o S. Loeb, os ralis voltaram a ter mais interesse a não ser que……. outro Sebastião copie os resultados do “velhote”.
 
Voltamos, ou melhor, vamos começar, então, a falar da edição 2013 do nosso Rali, este começa no Algarve com a Qualificação na 5ª feira, aí será definida a ordem de partida para as classificativas de 6º feira.
 
416ª feira, o 1º dia a sério do rali,  temos 5 classificativas, 4 em terra, com a última a ser em asfalto, a super especial na Praça do Império em Lisboa.
 
O 2º dia de competição é no sábado sendo este o dia mais comprido com 158 Km de classificativas divididas por 6 troços, todas elas em terra e  a serem disputadas no Algarve.
 
No domingo, 3º dia de competição,  temos 4 troços, também em terra,  sendo que um deles, Almodovar terá uma extensão de 52 Km ( é muito Km) sendo ainda a 2ª passagem por este troço a Power Stage, ou seja, irá dar os pontitos a quem for o mais rápido.
 
14
O Rali de Portugal vai ser uma luta com três potenciais marcas à vitória, a citroen irá ter em Hirvonen, Sordo e Al Qassimi os seus cavalos de batalha, depois temos a VW com Ogier, Latvala e Mikkelsen para dar luta e finalmente a Ford com Ostberg, vencedor do nosso rali no ano passado, Novikov, Al.Attyah, Neuville e Kuippers.
 
Estes são os grandes candidatos à vitória embora me esteja a “esticar” em relação a alguns.  Ok, realisticamente, na lutar pela vitória temos,  Ogier, latvala, Hirvonen, Ostberg e talvez Sordo, se chegarmos a domingo com estes ainda numa grande luta, então vai ser um rali memorável.

29Também 
 
Robert Kubica
vem dar umas acelera-delas ao nosso rali na classe WRC 2, estou extremamente curioso para saber como é que ele se comporta.
 
Em relação aos Portugueses, é triste mas, talvez devido à minha ignorância nessa matéria, não encontro nada de especial para dizer, a não ser que tenho saudades de pilotos como Rui Madeira.  Alguém sabe por onde é que anda o Armindo Araújo ???
 
Por falar em memorável, gostei imenso de escrever este artigo, trouxe de volta fantásticos momentos que vivi, e vocês ????   Não querem, também, partilhar um pouco as vossas ??????
 
 

O papel é de graça, venham elas

Deixe uma resposta