Vroomm

Vroomm...



Selecione uma página...

O Grande Prémio do Bahrain


1

O Bahrain foi o palco da 4ª prova do calendário da Formula 1, mais uma prova cheia de emoção do 2º classificado para baixo já que Vettel não deu hipóteses a ninguém ampliando, dessa forma, a sua vantagem na tabela classificativa do mundial de pilotos.
 
 

Vejamos como ficou o mundial de pilotos após o Bahrain:

2

O campeão do Mundo estendeu a sua vantagem de 3 para 10 pontos sobre o 2º classificado que continua a ser Kimi Raikkonen. Por sua vez, Lewis Hamilton com 50 pontos rouba a 3ª posição a Fernando Alonso que tem agora 47 pontos.  Mark Webber faz o mesmo a Massa, o australiano tem 32 pontos, mais 2 que o brasileiro.  Grojean com 26 e di Resta com 20 deram ambos um pulo na classificação geral ao ultrapassarem ambos Rosberg agora com 14 e Button com 13.
 

Vejamos agora os construtores:

3

A Red Bull com 109 pontos, continua na frente com 16 pontos de vantagem sobre a Lotus, que com 93,  roubou a 2ª posição à Ferrari que tem agora 77.  A Mercedes, com 64 pontos, está mais só no 4º lugar com um novo 5º a pertencer à Force India que deixou a McLaren em 6º.

 
Vejamos como se portaram as equipas e pilotos neste GP:
 

RED BULL

 
Sobre esta equipa pouco há a dizer, uma estratégia bem desenhada que Vettel executou na perfeição.4 Em relação ao 2º Red Bull de Webber, a equipa, mais uma vez, esteve bem, se o australiano não acabou a prova mais à frente só pode agradecer a ele próprio.
 
Sebastian Vettel mostrou porque é que é o actual campeão do mundo, o alemão só descansou depois de ter os seus adversários atrás dele e quando isso acontece não há palavra melhor para descrever a sua prova do que perfeito.
 
Mark Webber foi um piloto sem garra, com uma máquina “igual” à de Vettel, este não conseguiu melhor que o 7º lugar, muito pouco para quem tem aspirações a bater o seu colega de equipa. 3 semaninhas de descanso só lhe poderão fazer bem porque o mundial de condutores precisa do australiano ao seu melhor nível.
 


 

LOTUS

 
Esta equipa fez uma grande prova, mais uma boa estratégia bem elaborada para Raikkonen que arrancando de 8º chega à meta em 2º fazendo apenas 2 paragens para troca de pneus5. Quanto a Grojean que arrancou em 11º  chegou em 3º, uma prova notável depois de ser obrigado a reformular a sua estratégia de 2 paragens para 3. Esta equipa precisa de um Lotus mais rápido na qualificação para depois poder lutar com os lideres em vez de andar a persegui-los.
 
Kimi Raikkonen não pára de impressionar, o finlandês fez uma prova sempre a olhar para a frente e só não foi mais longe porque Vettel já estava a milhas e agarrá-lo ia ser impossível, de qualquer das maneiras fica mais uma grande exibição.
 
Romain Grojean fez aquela que foi a sua melhor prova do ano até à data, recuperar 8 posições quando teve que usar a mesma estratégia que os pilotos que estavam à sua volta só vai engrandecer ainda mais a sua prova porque este teve que ultrapassá-los em pista, sem dúvida uma grande prova deste francês que teve a oportunidade de estrear um novo chassis no Bahrain.
 


 

FERRARI

 
O azar bateu à porta desta equipa no Bahrain, uma falha mecânica da qual foi responsável no DRS do bólide de Alonso e pneus furados no de Massa devido a escombros espalhados pela pista foram as razões dos 8º lugar para o espanhol e 15º para o brasileiro. 6Quanto ao ritmo de prova não parece haver nada de errado mas esta equipa precisa de continuar a evoluir a um ritmo no minimo igual ao da Red Bull, só assim poderá aspirar a lutar por posições cimeiras em ambos os campeonatos.
 
Fernando Alonso, também ele, fez uma prova excelente isto depois de ter parado 2 vezes nas boxes fora do tempo previsto  para “reparar” o DRS. Sem este mecanismo para fazer ultrapassagens acabou por ser muito difícil subir na classificação mas isso não o assustou acabando a prova em 8º, mostrando, ainda, que tinha ritmo para andar lá na frente.
 
Filipe Massa teve o azar a bater-lhe à porta, 2 paragens forçadas para trocar pneus, que tinham sido furados devidos a escombros, foi a sua história do dia. Melhores dias virão certamente para este brasileiro.
 


 

MERCEDES

 
A Mercedes tem um excelente monolugar, a comprová-lo está mais uma excelente qualificação conseguida por Nico Rosberg, o problema no Bahrain centrou-se na temperatura do asfalto que o Mercedes não gostou particularmente.7 Ainda assim, foi notório verificar o melhoramento do Mercedes, em especial o de Hamilton, quando a temperatura do asfalto começou a baixar conforme decorria a prova, com o inglês a ser extremamente competitivo na parte final desta. Um problema que a Mercedes vai tentar resolver nestas “férias” até ao GP da Espanha certamente, enquanto desenvolve mais peças novas para estrear na Catalunha.
 
Lewis Hamilton foi igual a si próprio, enquanto na parte inicial da prova foi tentando não ficar para trás, na 2ª parte foi como que um renascer, este fez uma fase final de prova bastante agressiva envolvendo-se numa batalha sem tréguas com Webber onde saiu vencedor.
 
Nico Rosberg sofreu bastante neste GP, não conseguiu ser amigável com os pneus traseiros do seu Mercedes acabando por cair na classificação consoante decorria a prova tendo, ainda, que recorrer a 4 paragens nas boxes. Cortar a meta em 9º não estava certamente nos horizontes do alemão que partiu da pole position.
 


 

FORCE INDIA

 
Esta equipa está cada vez melhor, estas 4 primeiras provas do campeonato têm mostrado uma equipa que parece ter dado um salto qualitativo enorme em comparação com os anos anteriores. 8 Não me admirava nada que o melhor ainda esteja para vir. Aqui a maior questão prende-se com a evolução que os monolugares vão ter durante o ano, esta equipa vai ter de ser bastante eficaz neste capitulo de forma a, pelo menos, manter a distancia para as melhores do pelotão.
 
Paul di Resta fez uma prova muito boa, foi, para além de Raikkonen, o único a fazer apenas 2 paragens nas boxes e o resultado final esteve muito perto do pódio apenas falhado porque atrás dele vinha o Lotus de Grojean com borracha mais fresca que acabou por o ultrapassar já perto do fim.
 
Adrian Sutil ficou com a sua prova estragada logo no inicio da prova graças a um toque com o Ferrari de Massa que acabou com um pneu furado para o alemão, a partir daqui a missão era recuperar o máximo possível de posições com este a acabar a sua prova em 13º lugar. Foi sem dúvida uma oportunidade perdida para a Force India visto que Sutil partia, também,  lá na frente para a prova.
 


 

TORO ROSSO

 
Depois de uma Malásia suave veio um Bahrain tempestuoso para esta equipa, nunca se encontrou durante a corrida, prova disso foram os resultados dos seus bólides com Ricciardo a cortar a meta em 16º e Vergne a desistir.9 Muito trabalho para as férias para melhor compreenderem a máquina que têm à sua disposição.
 

Daniel Ricciardo fez uma prova medíocre e  a razão para esse comportamento foi nunca ter conseguido encontrar as melhores afinações para esta corrida . Partindo em 13º acabou em 16º perdendo para os Williams  e Sauber que são os seus maiores adversários.
 

Jean-Eric Vergne foi forçado a desistir após contacto com o Caterham de Van der Garde. Após paragem para “reparar” o seu STR, tentou levá-lo até ao final acabando por desistir devido a problemas de aquecimento.
 


 

SAUBER

 

A Sauber teve, esta também, um frustrante fim de semana, nunca mostraram performance no seu bólide com este a comer em demasia os pneus traseiros.10 Mais uma equipa que precisa de meter as mãos à obra, não só para descobrir as razões que afectaram negativamente a sua corrida como para melhorar a sua velocidade para os próximos GPs.
 

Nico Hulkenberg trouxe o seu Sauber até ao 12º lugar final, tirando o Williams de Maldonado acabou por ser o melhor do 2º pelotão, mas este piloto precisa de uma melhor máquina só assim a equipa poderá usufruir do seu talento.
 

Esteban Gutierrez terminou a prova em 18º bastante distante do seu colega de equipa, é certo que é um rookie, tem muito para aprender mas não vai demorar muito para que algumas vozes se comecem a mostrar o seu desagrado em relação à sua performance.
 


 

WILLIAMS

 
Esta equipa fez a sua melhor prova do ano, Maldonado com um 11º, ficou à porta dos pontos e Bottas cortou a meta em 14º.11 Também por estas paragens as “férias” são absolutamente necessárias, compreender melhor o Williams e trazer partes novas para Espanha é prioridade absoluta. De qualquer das formas foi bom não ver a Williams lá em baixo no resultado final da prova.
 
Pastor Maldonado teve, finalmente, uma corrida com principio, meio e fim e, quando isso acontece os resultados mostram-no de imediato. Este piloto precisa de uma melhor máquina, não diria que é um talento puro mas tem lugar em condições normais na Formula 1.
 
Valtteri Bottas fez uma boa prova, não fossem os problemas que teve numa paragem e, provavelmente, teria acabado a sua prova pertinho do seu colega de equipa.
 


 

MARUSSIA

 
A Marussia teve um fim de semana complicado, foi mais uma equipa que teve enorme dificuldade em fazer trabalhar os pneus traseiros de forma apropriada, foi, também, ultrapassada pela sua grande rival do campeonato, a Caterham. 12A boa noticia é que novas peças serão introduzidas em Espanha para melhorar a performance do seu bólide.
 
Jules Bianchi fez o que poderia ter feito, foi o melhor piloto da equipa. A sua prova não foi fácil mas conduzir um F1 não é um mar de rosas.
 
Max Chilton começou a sua prova bastante bem ultrapassando logo no inicio os 2 Caterham mas não demorou muito até ser posto no “seu” lugar, de qualquer das formas é um piloto que está na sua fase de aprendizagem e ainda vão demorar uns quantos GPs para dar luta, em especial, ao seu colega de equipa.
 


 

CATERHAM

 

A Caterham deu um pequeno pulo na competitividade do seu monolugar com Charles Pic a fazer uma excelente prova conseguindo não só ficar à frente dos seus rivais com, ainda, acabou a prova na frente do Sauber de Gutierrez.13 Um bom trabalho feito por esta equipa que estreou partes novas na máquina de Pic que de imediato mostraram o seu valor.
 
Charles Pic fez uma grande prova, este depois de ser ultrapassado pelos 2 Marussia na partida deu a volta por cima ultrapassando-os e mantendo um ritmo que manteve  não só Sauber atrás de si como, ainda, não deixou o Toro Rosso de Ricciardo afastar-se muito. Grande prova.
 
Giedo Van der Garde foi vitima de incidentes de corrida quando danificou a sua asa dianteira ao tentar evitar o Toro Rosso de Vergne logo no incio da prova. Depois disso apenas tentou acabar a prova tentando acumular kilometros à sua pouca experiência.

 


 

Deixe uma resposta