Vroomm

Vroomm...



Selecione uma página...

Harvick vence a Coca Cola 600


1

ESTA FOI CULPA DE JIMMIE JOHNSON, nº 48

Kevin Harvick e o seu Chevrolet SS foram os 1ºs a cortar a meta em Charlotte depois de terem sobrevivido à verdadeira razia que foram as 600 milhas da prova.

Depois de um excelente  GP do Mónaco de Formula 1, de umas ainda melhores 500 milhas de Indianapolis, a fasquia estava bastante alta para a Coca Cola 600, mas a verdade é que esta não defraudou em especial a partir do meio da prova.

Hevin Harvick, o vencedor

Hevin Harvick, o vencedor


 
Sendo a prova mais longa do calendário e percorrida na sua maioria à noite, por hábito os pilotos tentam conservar a sua máquina nas primeiras 400 milhas para depois entrarem em acção a sério na última parte da prova, altura quando a temperatura ambiente e do asfalto já não vão influenciar grandemente o comportamento dos carros.
 
 
A prova até começou com um ritmo calmo a prometer uma prova “chata” de seguir mas à volta 123 surgiu o caso estranho do dia que trouxe a 1ª bandeira vermelha quando com um dos cabos que sustem uma camera de tv que percorre a parte da frente da oval partiu indo bater nalguns carros, caso do 3Toyota de Kyle Bsch ,o Ford de Marcos Ambrose e o Toyota de Mark Martin e, ainda, em pelo menos 10 espectadores nas bancadas obrigando-os a terem cuidados médicos. A prova esteve parada durante algum tempo e, depois de avaliados os estragos nos carros, a Nascar concedeu 15 m para reparações nos que foram atingidos pelo cabo.A prova voltou ao seu ritmo normal com os Toyotas  de Matt Kenseth e Kyle Busch e o Chevy de Kasey Kahne  a dominarem a prova quando na volta 259 o motor do Chevy de Dale Earnhart Jr. rende a alma ao criador espalhando óleo na pista e colhendo o Ford de Greg BIffle, o Chevy de Dave Blaney e o Toyota de Travis Kvapil que se espetam um contra o outro depois de perderem o controle das suas máquinas, a carnificina tinha começado.

Danica e Brad em apuros

Danica e Brad em apuros

Na volta 320, depois de um resart na volta 318 e quando Ricky Stenhouse Jr., Danica Patrick e Brad Keselowski lutavam ferozmente pela posição do melhor piloto a uma volta do líder, envolveram-se num acidente ao entrarem os 3 lado a lado numa das curvas ficando sem espaço e acabando por se tocarem com o campeão a ficar com a pior parte e a ter de levar o seu Ford para as garagens onde lá ficou o resto da prova,  Danica perdeu um mais que possível top 20 e Stenhouse, que foi quem criou a confusão, escapou incólume.

BIG ONE

BIG ONE

Percorridas poucas voltas e mais um acidente na volta 327, desta vez foi um verdadeiro BIG ONE que trouxe a bandeira vermelha pela 2ª vez. Foram envolvidos nesta carnificina Aric Almirola, Jeff Gordon, Mark Martin, Bobby Labonte, Stenhouse, Casey Mears e Trevor Bayne. com os 3 primeiros a ficarem com a sua prova concluída de tão estragados estavam os suas máquinas.

Lá na frente Kasey Kahne  e Matt Kenseth entretinham-se na liderança depois de Kyle Busch ter já desistido com o motor do seu Toyota a “dizer” chega por hoje.

Pouco depois nova bandeira amarela com esta a surgir na volta 335 ( imagem no topo do artigo ), Jimmie Johnson perde o controlo do seu Chevy, bate no de Montoya com este a colher Kenseth que tentava escapar pela linha de cima, conclusão, Kenseth e Johnson fora da possibilidade de lutar pela vitória devido aos estragos nos seus carros.

Johnson, Kenseth e Montoya

Johnson, Kenseth e Montoya

Tony Stewart também foi um dos envolvidos mas escapou com uma batedela menor na traseira do seu chevy depois de fazer uns quantos ziguezagues para evitar o acidente.

Depois deste acidente a prova voltou ao seu normal com Kasey Kayne na frente e com todos os pilotos a saberem que só teriam que ir à box para colocar combustível mais uma vez.

Parecia que tínhamos encontrado o vencedor da prova tal era o domínio de Kasey já depois dos pilotos terem feito o seu último reabastecimento em situação de bandeira verde mas, uma bandeira amarela provocada por destroços do carro de Jimmie Johnson a 14 voltas das 400, trouxe a última bandeira amarela provocando o dilema de ir à box buscar pneus novos ou ficar na pista mantendo a posição ou ganhar algumas posições.

O último resart

O último resart

Kasey “decidiu”  ficar na pista enquanto Harvick, que estava em 2º na altura, mergulhou para as boxes levando consigo o resto dos pilotos que estavam na volta do líder, foi a morte de Kasey que não conseguiu resistir aos pneus novos do chevy de  Harvick no último arranque com este a distanciar-se e a aproveitar uma rolha chamada Kasey que dava tudo para ter pelo menos o 2º lugar final o que acabou por conseguir.

Em 3º chegou Kurt Busch, Denny Hamlin em 4º e Joey Logano em 5º fecharam o top 5.

Boas provas, finalmente, para os pilotos da SHR, Ryan Newman em 6º e Tony Stewart em 7º, conseguiam um top 10 que já começava a ser uma raridade para esta equipa. Clint Bowyer, Martin Truex JR. e Marcos Ambrose fecharam o top 10 com mais 3 pilotos a acabarem a prova na volta do líder, Carl Edwards, Jeff Burton e Paul Menard. Poderão ver  AQUI o resultado final da prova com os prémios atribuídos a cada piloto.

Em termos de classificação geral, Jimmie Johnson continua na liderança com mais 32 pontos que Carl Edwards.  Kenseth tem menos 51, Bowyer menos 60 e Kasey Kahne, a fechar o top 5, menos 75 pontos. Poderão ver a tabela na sua totalidade  AQUI .

Denny Hamlin continua a sua escalada nesta tabela, desta vez diminuiu a sua desvantagem para o líder, Jimmie Johnson, de 226 pontos para 207. Em relação ao 20º na tabela que é agora Tony Stewart, a sua desvantagem passou de 61 pontos para 53. Em termos de tabela, “subiu” de 27º para 24º.

A próxima prova do calendário será no próximo fim de semana com a “caravana” a deslocar-se até à “oval monstruosa” ( monster mile ) de 1 milha em Dover.

Deixe uma resposta