Vroomm

Vroomm...



Selecione uma página...

Os campeonatos, as equipas e os pilotos depois de Mónaco


1

Com as equipas da F1 a deixarem para trás o GP do Mónaco, Sebastian Vettel e a Red Bull estão mais na frente dos mundiais de pilotos e construtores.
 

O mundial de pilotos após o Mónaco:

2

Os 4ºs mantiveram as suas posições com Vettel a conseguir uma margem de quase uma prova em relação a Raikkonen sendo 21 os pontos a separá-los. Alonso também perdeu para Vettel mas ganhou para o finlandês com a diferença entre estes a ser agora de 8 pontos. Lewis Hamilton continua sozinho na 4ª posição e Felipe Massa perdeu 2 posições, uma para Webber e outra para Rosberg. Grojean também perdeu 2 posições, uma para Rosberg e a outra para di Resta. Sutil foi outro piloto que subiu 2 posições, as “vitimas” foram Perez e Ricciardo.
 

O mundial de construtores após o Mónaco:

3

Nada de novo na hierarquia das equipas, a diferença está no aumento da vantagem da Red Bull para a Ferrari que passou de 14 para 41 pontos. Também a Mercedes aproximou-se dos 3 das frente estando agora a apenas 3 pontos da Lotus e 14 da Ferrari.

 


As equipas e os pilotos no GP do Mónaco:

 

RED BULL

Esta equipa pode não ter ganho o GP mas mostrou ser, mais uma vez, a mais séria candidata ao titulo final, ritmo de qualificação e de prova não faltaram aos seus bólides para poderem desafiar a Mercedes se esta escorregasse.4 Vai ser uma equipa extremamente difícil de bater, esta está sempre em cima do acontecimento, basta olhar para a forma como “roubou” o 2º lugar ao Mercedes de Hamilton quando o Safety car entrou em pista na 1ª vez.
 
Sebastian Vettel foi por muito pouco que não conseguiu a pole depois de ter andado a esconder o jogo nos 1ªs treinos livres. Com o 2º lugar garantido, aproveitou para aumentar a sua vantagem para com os seus adversários mais directos nunca cometendo um erro durante toda a prova.
 
Mark Webber, também ele, não cometeu um erro e não fosse o 1º safety car ter entrado em pista e até poderia ter ido mais longe que Vettel graças a uma estratégia mais agressiva que a do alemão, no entanto, se quer batê-lo tem que começar por ser mais rápido que ele na qualificação.
 


 

FERRARI

Esteve muito mal esta equipa no Mónaco ao não conseguir entregar um monolugar em condições a Felipe Massa “obrigando” a que este desistisse depois de um aparatoso despiste na 30ª volta da prova. Também pareceu claro que a Ferrari esteve um pouco off em relação à Red Bull, Lotus e Mercedes tanto na qualificação como na corrida.
 
Felipe Massa teve um GP para esquecer, 2 despistes no mesmo local com o último a obrigá-lo a “visitar” o hospital, foi o resultado da estadia em Monte Carlo. 4O melhor é fazer as malas e descansar uns dias para aparecer rejuvenescido no GP do Canadá.
 
Fernando Alonso esqueceu-se que estava a competir no GP do Mónaco, foram demasiados erros para um piloto que não erra, aliás, a sua arma secreta é estar em cima dos outros quando estes falham. Demasiadas “portas abertas” a convidar os seus adversários a entrar e o mais estranho é que não aprendeu a lição da 1ª vez. Os seus adversários nem deviam estar a acreditar em tamanho “desrespeito” por eles. Vamos ver se aprendeu a lição no Canadá ou então pode dizer adeus ao sonho do titulo e desta vez não será por falta de ter uma máquina competitiva.

 


 

LOTUS

Mais uma equipa que quer esquecer rapidamente as ruas de Monte Carlo fruto principalmente do comportamento dos seus pilotos em pista visto que ritmo não pareceu faltar ao Lotus.

5
 
Kimi Raikkonen
teve o azar de apanhar com um Sergio Perez que ia ou rachava e foi a 2ª opção a que lhe aconteceu depois de ter ficado em 10º na prova quando foi obrigado a trocar o pneu que sofreu um furo após contacto com o McLaren do mexicano quando um 5º lugar estava mais que “garantido” se não tivesse deixado a porta meio aberta.
 
Romain Grojean foi um dos “premiados” no  Mónaco, 10 posições na grelha de partida para o Canadá depois de ter abalroado o Toro Rosso de Ricciardo, 2 monolugares destruídos e muito provavelmente um puxão de orelhas bem forte da sua equipa com mais um sério aviso, terão sidos os prémios para o françês que quando não acerta não há pai para ele.
 


 

MERCEDES

Esteve muito bem durante todo o fim de semana e melhor ainda ao conseguir 1.000km de testes de pneus logo após o GP de Espanha.5 Voltando ao Mónaco, pouco mais se poderia esperar desta equipa, talvez pedir a Hamilton que atrasasse um pouco ( sem dar muito nas vistas ) o pelotão de forma a que não perdesse tempo nas boxes à espera da sua vez para trocar pneus, dessa forma, pelo menos o 3º lugar no pódio era garantido isto para já não falar do 2º.
 
Nico Rosberg esteve imparável, não lhe escapou nada, ficou em 1º no 1º, 2º, 3º treinos livres,  qualificação e corrida. Impossível melhor.
 
Lewis Hamilton, não fosse o pormenor da a paragem na box e teria deixado o Mónaco mais contente, de qualquer das maneiras fartou-se de tentar procurar por uma brecha na defesa de Webber só que este não foi na sua cantiga.   Uma muito boa prova do inglês.
 


 

FORCE INDIA

Esteve muito bem a Force India  a provar que podem continuar a contar com ela para trazer pontos regularmente para casa. 7Poderia não ser a melhor do 2ª pelotão no Mónaco mas a verdade é que acabou por sê-lo fruto de 2 provas fantásticas dos seus 2 pilotos.
 
Adrian Sutil esteve irrequieto no bom sentido ao não conceder erros por parte dos seus adversários visto que se aproveitava logo deles para subir na classificação. Que o digam Alonso e Button “papados” no mesmo local. Acabou por aproveitar dos erros do outro piloto irrequieto ao conseguir mais 2 posções mas isso não é problema dele. Grande prova do piloto alemão
 
Paul di Resta estava à partida “condenado” a ficar lá atrás depois de  qualificar-se apenas em 17º. Só que o piloto arregaçou as mangas e começou a subir por ali a cima, algumas oferecidas é certo, para chegar ao final da prova em 9º. Que mais poderia ter feito ?? Nada.
 


 

MCLAREN

A McLaren esteve mais competitiva a mostrar que o trabalho de casa começa a dar alguns trocos e não fosse Perez armar-se em o conquistador do Mónaco e poderia ter tido um melhor resultado final. 8Nesta prova o que faltou à equipa britânica foi acima de tudo ritmo de qualificação. Resta esperar se esta progressão vai continuar no próximo GP.
 
Jenson Button deve ter gostado imenso de ter ultrapassado o seu colega de equipa, o que ele não estava à espera e não terá gostado foi da forma como ele retaliou de uma forma tão eficaz umas voltas mais à frente. No resto da sua prova teve oportunidade de mostrar o ritmo do McLaren e não fosse o atrevido do alemão da Force India e teria cortado a meta em 5º lugar.
 
Sergio Perez está a arriscar-se a ser um 2º Romain Grojean, fez uma prova sempre nos limites, sempre extremamente corajoso e nunca virou a cara à luta de tal forma que acabou por levar uma bofetada dele próprio ao calcular mal a ultrapassagem a Raikkonen acabando por estragar a prova de ambos. Um pouquiho de serenidade e este piloto até pode fazer maravilhas.
 


 

Toro Rosso

Esta equipa trouxe 4 pontinhos para casa graças a uma prova calma e eficaz de Jean-Eric Verge que nunca perdeu o comboio dos que estavam à sua frente.9 Também trouxe um bólide destruído graças a Grojean que não gostou nada da forma como estava aplicada a asa traseira do Toro Rosso decidindo que o melhor era dar cabo dela. No computo geral acabou por seu um bom GP para esta equipa que amealhou mais uns pontos para o mundial .
 
Jean-Eric Vergne foi eficaz e esperto o suficiente para não se meter em batalhas onde não iria ganhar nada com isso sendo premiado com 4 pontos para a sua colheita no mundial de pilotos.
 
Daniel Ricciardo ainda deve estar a pensar porque é que se foi meter com Grojean se ele não gostava da asa traseira do seu monolugar. Não vale a pena pensar muito, o melhor é fazer a mala e arrancar até ao Canadá onde terá mais uma boa oportunidade para mostrar o seu valor, isto senão tiver o francês atrás dele claro.
 


 

SAUBER

Vida difícil para a Sauber que não consegue tornar o seu monolugar mais competitivo de forma a lutar por umas posições mais à frente.10 Uma das queixas dos pilotos tem sido a falta de velocidade de ponta que não lhes permite desafiar os que vão à sua frente. Trabalho, muito trabalho para esta equipa se quiser dar a volta ao texto.
 
Nico Hulkenberg começou a prova no mesmo lugar que a acabou, ou seja 11º, o que revela no mínimo que não conseguem andar mais que os outros de forma a, pelo menos, aproveitarem-se dos erros dos seus adversários. Pobre Nico.
 
Esteban Gutierrez arrancou em 13º e acabou em 14º, bem se olharmos para o lado positivo concluiu a prova o que não é nada mau para um rookie nas ruas de Monte Carlo.
 


 

WILLIAMS

A Williams continua pelas ruas da amargura e desta vez até trouxe monolugar de Pastor Maldonado destruído para casa depois de um incidente com o Marussia de Max Chiton. 11De qualquer das formas a acreditar nas palavras de Maldonado a equipa evoluiu neste GP.
 
Pastor Maldonado não teve a sorte do seu lado ao sofrer um grande acidente provocado pelo inglês da Marussia. O melhor que tem a fazer é fazer as malas e acreditar que o seu Williams está mesmo melhor como ele pensa que está.
 
Valtteri Bottas trouxe o seu Williams até ao final da prova trazendo para casa uma valiosa experiência de 78 voltas às ruas de Monte Carlo depois de ter acabado a sua prova em 12º, 2 posições melhor do que tinha começado.
 


 

MARUSSIA

Não foi o melhor fim de semana para esta equipa que começou por se ver batida na qualificação por ambos Caterham indo piorar ainda mais com o acidente de Chilton e de Bianchi.

12
 
Jules Bianchi
começou por não se qualificar e na corrida, como se não bastasse, teve de arrancar das boxes devido a um problema eléctrico que surgiu na grelha de partida. Para acabar em “beleza”, foi atingido pela barreira de protecção que invadiu a pista após o embate criado pelo Williams de Maldonado e, depois de tudo isto, ainda teve tempo de se despistar em Saint Devote depois de uma falha do disco dianteiro do travão direito do seu Marussia. Grande domingo.
 
Max Chilton também não teve a melhor das estreias no Mónaco depois de ter sido o responsável pela paragem da prova ao envolver-se com Maldonado num acidente que deixou a curva da tabacaria completamente de pantanas. Erros de principiante que servirão para aprender a não tornar a fazer outra vez. Mesmo assim o rookie conseguiu bater a sua adversária Caterham.
 


 

CATERHAM

A Caterham também não teve um fim de semana fácil especialmente na prova já que na qualificação foi premiada com a subida à 2ª qualificação por intermédio de Van Der Garde.

13
 
Giedo Van der Garde
depois do brilharete da qualificação conseguindo o 15º tempo não podia ter começado pior a prova depois de ter tocado, ou vice versa, no Williams de Maldonado tendo que vir à sua box para trocar a sua asa dianteira. Para acabar a prova em beleza, acabou por sucumbir ao britânico da Marussia depois de ter ficado “sem”  pneus não conseguindo defender-se.
 
Charles Pic ainda teve menos sorte que o seu colega de equipa porque ao fim de 7 voltas a sua prova tinha acabado porque a caixa de velocidades do seu bólide partiu. Acontece.

 

 

Deixe uma resposta