Vroomm

Vroomm...



Selecione uma página...

Fim de semana em cheio para os Portugueses ??


São 7 os pilotos Portugueses que iram defender a nossa bandeira no próximo fim de semana por esse mundo fora, os GTs com Miguel Ramos,  Álvaro Parente e Filipe Albuquerque, o endurance com João Barbosa e Pedro Lamy, os Formulas com António Félix da Costa e Miguel Oliveira nas motas. Como é que eles estão no campeonato, quais as perspectivas no mesmo e quais as suas hipóteses no próximo sábado e domingo são as grandes questões. Vejamos um a um.

O 1º Português a entrar em cena é o António Félix da Costa, para muitos de nós a grande esperança do nosso desporto motorizado.

António Félix da Costa

António Félix da Costa

O jovem piloto está em 4º na tabela classificativa da Formula Renault 3.5 Series a 34 pontos do líder Kevin Magnussen. Embora um pouco atrasado fruto da sua pobre exibição em Aragon, a verdade é que ainda só se realizaram 5 provas do campeonato composto por 17, logo, e tendo em conta que é um excelente piloto integrado numa boa equipa, ainda nada está perdido. A próxima jornada é já no próximo fim de semana com 2 provas no circuito de Spa onde geralmente os melhores sobressaem, portanto tudo aponta para um excelente fim de semana para o Félix mesmo que a chuva venha a ser um espectador como costuma ser por aquelas zonas.

 

O 2º piloto a entrar em cena será Miguel Ramos no GT Open onde faz parceria com Nicky Pastorelli ao volante de um Corvette.

Miguel Ramos

Miguel Ramos

Esta equipa está em 6º na tabela classificativa com 40 pontos e menos 32 que o líder Andrea Montermini no seu Ferrari 458 Itália e a razão que o levou a estar tão atrás mesmo depois de um excelente fim de semana na jornada de Portimão onde obteve um 1º  e um 2º nas 2 provas, foram as desistências na jornada inaugural em Paul Ricard onde desistiu nas 2 provas devido a problemas mecânicos. Com 6 jornadas ainda pela frente, o piloto Português tem todas as chances de chegar ao topo apesar da equipa líder mostrar ser bastante forte. Quanto ao próximo fim de semana, a jornada realiza-se no circuito do Nurburgring numa zona onde a chuva também pode fazer questão de aparecer e onde Miguel Ramos poderá lutar pela vitória em ambas as provas.

 

São 2 os pilotos os seguintes a entrar em cena, será na Grand-am Series no próximo sábado com João Barbosa e Pedro Lamy.

Pedro Lamy e João Barbosa

Pedro Lamy e João Barbosa

Em termos de campeonato, o Pedro Lamy não tem a mais pequena hipótese porque não só já falhou várias provas como a sua equipa está no seu 1º ano neste campeonato e, para finalizar, o Pedro está comprometido com a Aston Martin no WEC onde, aqui sim, luta para ficar no topo no final.  Quanto ao João Barbosa, e apesar de faltarem ainda 8 provas de um total de 12, 42 pontos de diferença para a melhor equipa do campeonato, Scott Pruett e Memo Rojas, tornam praticamente impossível a reviravolta a não ser que estes e outros tenham a mesma sorte que o João tem tido o que só iria equilibrar um pouco a balança.

João Barbosa

João Barbosa

Em relação à prova de sábado que se realiza em Detroit, mais propriamente na ilha de Belle Isle Park que fica no meio do rio que separa os EUA do Canadá, o João Barbosa foi o vencedor no ano passado e com este circuito a ter todas as características para que os Corvette DP se dêem bem novamente, esta poderá ser a grande chance do piloto do Porto relançar o seu campeonato e vencer a prova. Quanto ao Pedro, embora também conduza um Corvette DP, a equipa ainda está nos primórdios do desenvolvimento do seu bólide mas, se a estratégia for bem feita, um bom resultado é bem possível visto ser um circuito não muito propicio a ultrapassagens especialmente a velhas raposas como Lamy e o seu colega de equipa Stephane Sarrazin.

 

O 5º piloto a entrar em cena vai ser Miguel Oliveira na Moto 3. Em termos de campeonato o jovem piloto Português não tem a mais pequena hipótese com 2 quedas nos dois últimos GPs a ajudarem e de que maneira a consolidar essa opinião.

Miguel Oliveira

Miguel Oliveira

Também o facto de ter uma mota menos competitiva ajuda a aumentar esse sentimento, mas também aqui, a responsabilidade é do Miguel visto ter sido ele que escolheu esse caminho. Neste momento M. Oliveira está em 10º no campeonato com 20 pontos e menos 70 que o líder Maverick Vinales.

Com o 4 GPs disputados até ao momento, disputa-se o GP de Itália no próximo dia 2 com o circuito de Mugello a servir de pano de fundo, também aqui a vida não vai ser nada fácil para Miguel Oliveira que vai ter de enfrentar um pelotão de KTMs com mais velocidade de ponta que a sua Mahindra e onde a recta da meta neste circuito nunca mais acaba. Só com um ritmo constantemente forte  e com uma moto bem afinada poderão dar algumas chances ao Português para um top 5, a não ser que a chuva apareça e, neste caso, equilibre um pouco as coisas, ainda assim, vai ser muito complicado.

 

O 6º piloto é o Filipe Albuquerque que vai até à Áustria. Mais um piloto com um inicio de campeonato muito difícil com 2 participações medíocres e ainda sem ter pontos.

Filipe Albuquerque

Filipe Albuquerque

No meio de tanto azar, tem tido a “sorte” do pelotão do DTM estar muito competitivo, em apenas 2 provas já conseguiram pontuar 13 pilotos, o que proporciona que uns roubem pontos a outros acabando por não se afastarem muito e serem, pelo menos para já, ainda perfeitamente alcançáveis. Sendo o lado positivo, torna-se negativo se Filipe não começar a ficar na frente deles.

A próxima prova que se vai realizar no fantástico Red Bull Ring onde ultrapassar é mais que possível,vai ser um óptimo teste para o Português que parece estar com alguma falta de confiança. Com o novo sistema de DRS e os 2 tipos de pneus,  partir de uma má posição na grelha não implica que não se consiga ter um bom resultado, logo, este circuito vem mesmo a calhar. A estratégia vai ser muito importante mas uma máquina muito bem afinada pode ser imbatível neste circuito. Acredito que a vitória do Filipe é possível mas vai ser muito difícil, o piloto, o seu Audi e a equipa têm que estar no seu melhor para conseguirem bater a concorrência.

 

O último piloto Português a entrar em cena será o Álvaro Parente que vai até Silverstone.  Falar sobre o que tem sido o seu ano desportivo torna-se complicado porque o Português divide-se em 3 campeonatos diferentes, a GT Series, a Blancpain Series e o campeonato inglês de GTs.

Álvaro Parente

Álvaro Parente

Para já o denominador comum nas 3 disciplinas tem sido a enorme rapidez do piloto e os azares para acabar as provas, são problemas mecânicos uns atrás dos outros depois  de excelentes inícios de provas, a única excepção tem sido mesmo a 1ª prova da Blancpain Series onde um McLaren mal afinado não deu para fazer nada de jeito. É frustrante ver um piloto tão bom como o Álvaro a não conseguir fechar o “negócio”, sempre tão perto da glória no inicio e sempre tão longe no final.  Em relação ao próximo fim de semana em Silverstone, o Álvaro tem boas chances de brilhar depois de ter estado no passado fim de semana neste mesmo circuito a participar na 4ª jornada do campeonato inglês de GTs onde a sua equipa estava bem classificada até ter tido problemas no seu McLaren. Serão 3 horas de prova onde os ensinamentos do passado fim de semana podem ser um factor extremamente importante no que diz respeito à afinação da sua máquina.

 

 

 

Deixe uma resposta